Tag: celular

27
set

Campanha alerta sob risco de atropelamento ao olhar mensagens no celular.

 

riscomensagem

O comercial criado pela agência La Chose de Paris para a República Francesa, toca em situações que ninguém até então nunca tocou em comerciais e campanhas contra acidentes de trânsito causados por irresponsabilidade do condutor.

Você já parou para pensar como ficam as pessoas que estão ligadas a uma pessoa que morre em um acidente? Como ficam os pais? Irmãos? Amigos? Professores? Colegas? Parentes?

Infelizmente uma morte pode ocasionar muitas coisas e tirar os sonhos de muitas pessoas. E essa campanha foi inspirada exatamente nisso.

Enquanto David dirige e resolve ver uma mensagem no celular, uma pessoa é morta, mas muitas outras são atingidas junto com ela.

O comercial da campanha, assim como a mensagem, é bem impactante, confira!

Fonte: Publicinove

AddThis + Anúncio





06
jan

Que tal viver cada momento da vida da melhor forma possível, sem distrações?

cocacola

Essa é a proposta da campanha Stop Phubbing Around, da Coca-Cola.

Já cantava John Lennon que “vida é o que acontece a você enquanto você está ocupado fazendo outros planos”. Ou quem sabe compartilhando. Ou, mais especificamente “phubbing”. O termo, uma mistura de snubbing (esnobar) e phone (telefone), serve para definir aquelas pessoas que simplesmente não tiram os olhos das telas de seus smartphones, praticamente ignorando o mundo à sua volta.

Em uma campanha recente, a Coca-Cola resolveu convocar as pessoas a deixarem a prática de lado, e começarem a prestar mais atenção às pessoas e momentos reais, enquanto a vida realmente está acontecendo.

Com criação da Memac Ogilvy de Dubai, Stop Phubbing Around foi lançado no finalzinho do ano passado, mas merece destaque – especialmente neste começo de ano – ao nos lembrar de que todo momento em nossas vidas é único e precioso, e por isso mesmo deve ser aproveitado da melhor forma possível, sem distrações.

Vale o play.

Fonte: Brainstorm9 – www.brainstorm9.com.br




24
nov

Making of dos comerciais da Motorola.

MotorolaVocê já assistiu o comercial do Moto X? Seu conceito em si não tem nada de muito inovador, mas a montagem de seu cenário chama bastante a atenção por apresentar uma estrutura bem diferente do que estamos acostumados a ver. Resolvi, então, ir atrás de seu processo de criação.

Encontrei não apenas como ele foi feito, mas descobri que tratam-se de 4 filmes, um para cada produto da linha de aparelhos da Motorola: Moto X, Moto G, Moto Hint e Moto 360. A linha criativa para os filmes é a mesma: como o aparelho se integra ao dia a dia de seu usuário, tornando suas tarefas diárias mais simples.

Todos foram gravados em um único galpão, e o que os une é a criatividade e fluidez de seus efeitos práticos, sem a utilização de efeitos especiais.

Confira cada um dos vídeos, começando pelo making of:

Fonte: Diretores de Arte – www.diretoresdearte.com.br

 




22
set

Movimento de combate à dependência digital.

Experimente Movimento Popular de Combate à Dependência Digital

Empresário embarca em turnê pelos Estados Unidos para explorar implicações negativas da tecnologia na sociedade e oferecer soluções para a mudança.

Em uma época permeada pelo digital, a tecnologia mudou o panorama da sociedade e impactou negativamente os nossos relacionamentos interpessoais. A geração do milênio sofre abertamente a partir de uma dependência digital: uma dependência de e-mails, tweets e SMS que têm implicações profundas e prejudiciais para o futuro. Conforme a Kleiner Perkins Caufield & Byers Anual Internet Trends Report, as pessoas verificam seus telefones, em média, 150 vezes por dia, ou uma vez a cada seis minutos.

Brian Hiss na VW Van

A reabilitação já foi associada unicamente com álcool e drogas. Como a dependência de nossos dispositivos móveis e tablets continua a crescer, detoxes digitais são cada vez mais necessários e populares (hotéis e campings de países como Estados Unidos, Irlanda e Ilhas Cayman já contam com diárias de desintoxicação digital. No Renaissance de Pittsburgh (Pennsylvania), por exemplo, na hora do check in o ‘hóspede detox’ deixa todos os eletrônicos na recepção, incluindo carregadores. No quarto, não há internet, TV, nem relógio, e o telefone só liga para a recepção. Também nos Estados Unidos, existem os retiros ‘detox digital’: desconectar para reconectar’, organizados por Levi Felix, inventor do movimento). Detoxes permitem que as pessoas fiquem “off” em retiros e workshops. A iniciativa visa tornar esse estilo de vida desconectada intuitiva.

Experience People incentiva as pessoas a abandonar seus dispositivos e encontrar valor no mundo físico ao seu redor. Ao longo de 12 semanas, em 20 cidades dos Estados Unidos, o empresário Brian Hiss e cineasta Rob Alto estão em uma jornada de sensibilização contra a dependência digital, ajudando a estabelecer uma nova relação moderada com a tecnologia. Hiss acredita que as pessoas devem continuar a desenvolver relacionamentos significativos e só usar a tecnologia como uma ajuda para a experiência.

A turnê, realizada em um ônibus VW, está em andamento e parando nas principais cidades próximas de centros de tecnologia. Devido à escala do capital dos investidores em San Francisco, Nova York, Austin, Washington DC e outros, Hiss imaginou maiores oportunidades para fomentar novas práticas dentro da indústria. Irão capturar e documentar toda a turnê para destacar os vícios digitais destas cidades e aumentar a conscientização sobre a necessidade de mudança.

A VW Posto de Van

A filosofia do Experience People acredita que todas as interações com as pessoas ou a natureza devem ser inatas e enriquecedoras. O movimento foi inspirado na tendência ao consumo excessivo, a qual Hiss tem observado na indústria de tecnologia. Em entrevista ao PSFK, Hiss comparou as práticas para o consumo excessivo, que também afetaram as indústrias de alimentos e de energia.

“Esperamos para desovar na indústria a tecnologia sustentável, onde produzimos tecnologia para ajudar nas experiências, a não para ela ser a experiência “, diz Hiss.

Hiss espera que essas experiências incluem melhores práticas das empresas, novos fundadores e novos investidores. Nos Estados Unidos, irão se reunir com novos parceiros e formadores de opinião.

O passeio é apenas o começo da jornada e o movimento vai continuar a desenvolver-se à medida que conseguirem mais apoio e desenvolverem a consciência.

Fonte: PSFK

08
set

Nearables, os adesivos para você interagir com o que está por perto.

Com eles, os seus dispositivos conseguem reconhecer onde estão, ou quais objetos estão por perto, e realizar funções a partir disso.

Já pensou se os aplicativos do seu celular conseguissem entender próximo de que lugares ou objetos você está, e pudessem tomar decisões com base nisso?

Essa é a promessa dos ‘Nearables’, produzidos pela Estimote. Eles são pequenos computadores com sensores, que podem ser fixados em locais ou em objetos do dia a dia para modificar a forma como interagimos com eles. Dentre um dos exemplos apresentados no vídeo de lançamento, os Nearables seriam capazes de reconhecer que o seu celular ainda está ao lado do seu criado mudo, perceberiam que o trânsito está complicado, saberiam que você tem um compromisso e poderiam ativar o despertador um pouco mais cedo, para evitar que você perdesse uma reunião.

context-bedroom-nearable

Outra aplicação prática seria que os Nearables poderiam saber que você pegou um produto em uma loja, permitindo que fosse feita uma oferta customizada, ou até mesmo avisar que você está esquecendo sua bolsa, caso seu smartphone não reconheça o Nearable associado a ela em algum lugar ao redor.

nearables-publicidade

Capazes de reconhecer movimento, temperatura e localização atual, os Nearables são um exemplo de como a internet das coisas pode alterar o nosso comportamento no futuro. Conectando-se à web por intermédio de um dispositivo que os reconhece (como os smartphones ou tablets), cada um desses adesivos inteligentes possui um processador ARM,  conectam-se via Bluetooth à outros dispositivos e têm vida útil estimada em aproximadamente um ano.

Os Nearables são uma evolução dos Beacons, produto criados pela mesma empresa há alguns anos para ajudar a inserir a internet em objetos do cotidiano, e se tornam uma opção mais barata para ampliar a capacidade dos gadgets de reconhecer o que há ao nosso redor. A vantagem é que enquanto os Beacons eram pequeninos dispositivos que podiam ser fixados em diversas localidades, os Nearables são ainda menores, discretos e baratos, podem ser grudados em quase qualquer coisa ou local.

estimote-nearables

Compatíveis com iOS e Android, os Nearables já estão em pré-venda, com entrega prevista para outubro, e custam 99 dólares em um pacote com 10 unidades. A Estimote também oferece um kit de desenvolvimento para que os interessados possam inventar aplicativos que usem os dados e informações obtidas através dos pequenos sensores adesivos. Quem preferir também pode adquirir um Beacon, que tem uma vida útil 3 vezes maior, mas que também é mais caro – um pacote com 3 beacons custa 99 dólares.

Pode ser um interessante jeito de colocar mais internet e conectividade na nossa rotina, e que pode até mudar o jeito como se faz propaganda customizada em lojas físicas. Já pensou conseguir detectar, através dos Nearables, que um cliente já procurou por uma bolsa ou calçado na web, e oferecer a ele um preço promocional?

nearables-propaganda-interacao

Fonte: Brainstorm9